RESENHA: A Canção de Mayrube.

12247694_678961322204510_57041846299912694_o“CERTAS LENDAS JAMAIS FORAM CONTADAS…”

SINOPSE:

No início das eras, cinco clãs vagam pelo mundo, unidos por uma profecia e enfrentando um mal antigo enquanto buscam pela terra onde erguerão seu novo lar.

Um épico gráfico, inspirado nas mitologias que formaram a América. Essa é A Canção de Mayrube, construída a parir das diversas culturas que alimentaram por séculos o imaginário ocidental com seus deuses dourados, cidades sobre as águas e florestas de sonhos e mistérios.

RESENHA

05Quando vi o projeto na internet, de uma HQ que utiliza a mitologia ancestral das Américas como base para o desenvolvimento da história, pensei “Eu preciso ler isso!!! *-*”; assim, fiquei aguardando o FIQ 2015 para conferir o lançamento de A Canção de Mayrube. E a espera valeu a pena.

Essa primeira HQ, A Canção de Mayrube – o início, é na verdade uma prévia da Graphic Novel desenvolvida por Hugo Canuto, e é sensacional. Assim como V. M. Gonçalves fez em sua obra A Canção de Quatrocantos, Hugo Canuto também utilizou os povos ancestrais das Américas para criar um universo novo, misturando culturas, mas trazendo, novamente, à vida muitos nomes e crenças do passado… do nosso passado.

Nessa primeira edição, o autor nos conta como surgiu a obra, fala um pouco sobre suas pesquisas – e a dificuldade de se encontrar referências sobre o tema –, sobre o processo criativo; e deixa clara a homenagem aos ancestrais que todos nós, que temos nossas raízes nas Américas, compartilhamos. A história apresentada nessa edição nos mostra os personagens principais e nos introduz na trama que envolve os Filhos do Sol.

Curiosamente, é mais fácil encontrar nas livrarias a Ilíada ou os Eddas nórdicos do que material sobre a mitologia Inca ou Yorubá.” — Hugo Canuto.

A arte é linda ( ♥ ) e o final nos deixa querendo mais…

06

Agora é aguardar 2016 para conferir toda a história de A Canção de Mayrube – Os Filhos do Sol.

Sempre me perguntam quando surgiu A Canção de Mayrube. Toda ideia tem muitos começos, mas acredito que foi em 2007. Naquela ano, visitei a terra dos meus ancestrais maternos, no coração do sertão baiano, lugar antigo onde um povo guerreiro lutou para reaver seu território…” — Hugo Canuto.

MAIS INFORMAÇÕES NA PÁGINA A CANÇÃO DE MAYRUBE.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s